Iniciação Científica e Ações Afirmativas

holding-hands-across-the-world-1312801

Políticas de inclusão podem ser motivos de orgulho institucional

A política de ações afirmativas da Unesp avançou de forma substancial quando iniciou, em 2014, o programa de inclusão por meio do Sistema de Reserva de Vagas da Educação Básica Pública (SRVEBP). Este programa prevê como meta alcançar, gradativamente, até 2018, que 50% dos estudantes ingressantes sejam oriundos de escola pública. Semelhante à maioria das universidades públicas brasileiras, a Unesp busca, com este programa, assegurar a inclusão por meio de cotas e ações de permanência estudantil que têm dentre os principais objetivos proporcionar condições que contribuam para evitar a retenção e a evasão dos estudantes, bem como a formação de profissionais qualificados para servir à sociedade.

Incluir estudantes no ensino superior não significa apenas abrir vagas para que determinado contingente de alunos ingresse na universidade, mas sim criar condições para que o estudante possa concluir o curso e construir um campo de significação orientado pelo conhecimento científico. Ciente deste compromisso, a Unesp busca desenvolver ações afirmativas integradas que proporcionem uma formação de qualidade para seus alunos. Nesse sentido, cabe destacar o programa Iniciação Científica/Ações Afirmativas, desenvolvido em parceria pela Pró-reitoria de Pesquisa (Prope) e a Coordenadoria de Permanência Estudantil (Cope), que tem por objetivo engajar em atividades de iniciação científica os alunos ingressantes oriundos de escola pública.

Em edital realizado em 2015, a Prope, após julgamento de mérito por análise comparativa e julgamento por comitê ad hoc, selecionou 26 projetos de pesquisadores de reconhecida excelência para incorporar estudantes de graduação oriundos de escolas públicas em seus projetos de pesquisa. Cada um desses projetos recebeu uma bolsa de iniciação científica e subsídio alimentação por um período de doze meses, destinados a estudantes com esse perfil. Passado um ano, após o término dessas bolsas, os relatórios foram apreciados pelo comitê ad hoc e a maioria dos trabalhos recebeu dos pareceristas elogios pela qualidade das atividades científicas desenvolvidas, inclusive com a recomendação de que deveriam ganhar reconhecimento público.

A Unesp busca desenvolver ações afirmativas integradas que proporcionem uma formação de qualidade para seus alunos

Com esta perspectiva a Prope e a Cope, após uma segunda análise de todos os relatórios, decidiram contemplar com uma bolsa e subsídio alimentação, por um período de mais 12 meses, os projetos de iniciação científica que foram melhor avaliados; um de cada grande área de conhecimento. Na área de Ciências Exatas e da Terra destacou-se o trabalho realizado pelo estudante Luiz Henrique de Araújo Godoi, orientado pelo Prof. Dr. Aparecido Carlos Gonçalves, da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira (FEIS), que participou do projeto de pesquisa Ensaio em um equipamento pin-on-disk para comparação entre óleos vegetais aditivados e um lubrificante mineral. Este projeto visa a substituição dos lubrificantes de origem mineral por óleos biodegradáveis (vegetais) e a conservação da natureza, atendendo às regulamentações ambientais. Na área de Ciências Humanas foi contemplado o trabalho Desenvolvimento Moral e Valores Morais entre Professores e Alunos de Educação Básica, desenvolvido por Diana de Castro sob a orientação do Prof. Dr. Raul Aragão Martins, do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce). Este estudo, voltado para as questões éticas que envolvem as relações interpessoais no contexto escolar, tem como objetivo fazer um levantamento das pesquisas realizadas, no período de 2006 a 2015, em escolas de educação básica sobre desenvolvimento moral e valores morais de professores e alunos. Na área de Ciências da Saúde destacou-se a estudante Caroline de Freitas Jorge, orientada pelo Prof. Dr. Aldiéres Alves Pesqueira, da Faculdade de Odontologia de Araçatuba (FOA), com a pesquisa Análise da distribuição das tensões em prótese unitária implantossuportada com diferentes tipos de conexões: análise fotoelástica e extensometria. Este estudo busca se aprofundar sobre a precisa adaptação entre o implante, pilar e componentes protéticos, responsável pela estabilidade de todo o sistema de implante protético, proporcionando melhor distribuição das cargas oclusais para o osso circundante.

A qualidade das atividades científicas desenvolvidas por estes estudantes corrobora a ideia de que a política de inclusão desenvolvida na Unesp, sem dúvida, pode se consolidar como inclusiva, inspiradora e emancipatória. Ações afirmativas integradas podem possibilitar aos estudantes caminhos ágeis para a construção da abstração reflexiva, condição fundamental para a construção do conhecimento científico e para a formação de sujeitos críticos. Dessa forma, a indução do pensamento científico e a introdução da pesquisa e da inovação (tecnológica e/ou social) às atividades acadêmicas desses estudantes abrem espaço para novas abordagens interdisciplinares e, consequentemente, para a percepção dos impactos que os resultados gerados podem trazer de benefícios ao coletivo e às demandas da sociedade.

Os resultados do programa Iniciação Científica/Políticas Afirmativas desenvolvido pela Prope/Cope apontam que ações institucionais articuladas viabilizam políticas inclusivas dignas e condizentes com os princípios de qualidade que devem orientar os serviços de uma universidade pública. Fica a certeza de que políticas de inclusão podem ser motivos de orgulho institucional e que, se ampliadas e integradas a atividades que incitam o desenvolvimento de ideias criativas, podem garantir, de fato, a igualdade de oportunidades no ensino superior e a formação de profissionais éticos. Resta parabenizar os estudantes, seus orientadores e suas Unidades.

_________________________

Maysa Furlan é pró-reitora interina de Pesquisa (Prope) e Mário Sérgio Vasconcelos é coordenador da Coordenadoria de Permanência Estudantil (Cope).

BAIXAR PDF

Authors

*

18 − 9 =

Top