2017-2018: o Biênio da Matemática

integral-calculations-1535285

Será uma excelente oportunidade para promover o ensino, a difusão e a cultura da Matemática no país

Quando se ouve falar em Matemática, as pessoas reagem das mais variadas formas: umas odeiam; outras até admiram, mas acham um “bicho de sete cabeças”; há quem reconheça sua importância, mas não faça ideia de como aplicar resultados tão abstratos e, por fim, existem aqueles que são apaixonados e reconhecem a Matemática como a rainha de todas as ciências e uma linguagem universal, capaz de descrever os mais variados fenômenos de nosso dia a dia, sejam eles físicos, tecnológicos, comerciais e até interpessoais. De fato, a Matemática está embutida em todas as coisas. Por exemplo, se queremos o desenvolvimento cada vez maior da tecnologia, precisamos que a Matemática dê o suporte teórico e técnico necessário para este fim. Desde uma simples mensagem enviada de nosso celular, até uma pesquisa completa realizada num site de buscas na internet, é necessária uma grande quantidade de números, fórmulas, códigos e algoritmos que tornam estas ações possíveis e confiáveis. Imagine você enviar uma mensagem pelo celular a uma pessoa que, ao receber sua mensagem, encontre algo escrito que não foi exatamente aquilo que você acabara de enviar. Este é um exemplo em que precisamos da Matemática para garantir que a mensagem seja enviada com a maior segurança e o menor “ruído ou erro” possível.

É necessário desmistificar a Matemática e torná-la mais atraente para nossos jovens e crianças. É impossível gostar daquilo que você não entende. À medida que um aluno aprende os elementos matemáticos, com profundidade e clareza, não há como ele não gostar ou desfrutar deste imenso prazer intelectual. Infelizmente, no Brasil temos ainda um longo caminho a seguir no que se refere a motivar nossos estudantes para que eles aprendam Matemática. Só dominando bem os conceitos matemáticos é que poderemos ser bons engenheiros, físicos, economistas, programadores, entre outros. Mesmo em profissões em que a Matemática não é personagem principal, ela pode auxiliar no que diz respeito ao pensamento lógico, à modelagem de problemas, ao equacionamento dos gastos, entre outras coisas mais.

É necessário desmistificar a Matemática e torná-la mais atraente para nossos jovens e crianças

Existem algumas ações que recentemente têm colaborado no incentivo da aprendizagem matemática por meio de problemas interessantes e desafiadores: são as olimpíadas de Matemática. Hoje o Brasil dispõe do maior sistema de olimpíada de Matemática do mundo, no sentido de que existe uma olimpíada de Matemática que atinge 20 milhões de alunos em todo o país: é a Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Entretanto, precisamos de mais ações como estas que incentivam o estudo e o desenvolvimento da Matemática entre os alunos dos ensinos fundamental e médio. Recentemente, vimos que o MEC (Ministério da Educação) apresentou os dados de 2015 sobre o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), nos quais o ensino médio e os anos finais do fundamental ficaram abaixo das metas previstas. Isso em boa parte é devido ao baixo rendimento em Matemática dos alunos. Se por um lado temos deficiência em Matemática básica nas escolas de ensino fundamental e médio, é importante saber que, com relação à Matemática universitária, o quadro é bem diferente. O Brasil é bom na pesquisa Matemática, realizada pelos docentes e pesquisadores vinculados a programas de pós-graduação ou centros de pesquisa espalhados pelo país. Na verdade, estamos num grupo de destaque na Matemática mundial, à frente de muitos países desenvolvidos. Prova disso é o importantíssimo prêmio recebido pelo matemático brasileiro Artur Avila em 2014: a medalha Fields. Para a Matemática não existe Prêmio Nobel, como ocorre em outras áreas como Literatura, Física ou Medicina. A medalha Fields é para a Matemática um prêmio cuja importância pode ser comparada a um Prêmio Nobel de outras áreas. A próxima premiação da medalha Fields será em 2018, num evento organizado pelo IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), que terá lugar no Rio de Janeiro: o Congresso Internacional de Matemáticos. Um fato importante é que outro brasileiro está cotado para concorrer ao prêmio em 2018. Além do Congresso Internacional de Matemáticos, que é o maior evento da área, em 2017 ocorrerá também no Brasil a Olimpíada Internacional de Matemática, no Rio de Janeiro. Estes são os dois maiores eventos da Matemática mundial e ambos ocorrerão no Brasil nos próximos dois anos. Diante da importância destes eventos e a partir do desejo dos matemáticos brasileiros, o Plenário do Senado aprovou em 19/10 o projeto (PLC 25/2016) que institui o Biênio da Matemática 2017-2018 Gomes de Sousa. De iniciativa do deputado Alex Canziani (PTB-PR), o projeto é uma homenagem à Olimpíada Internacional de Matemática de 2017 e ao Congresso Internacional de Matemáticos de 2018, eventos que terão como sede o Brasil. Já o nome “Gomes de Sousa” é uma homenagem ao matemático maranhense Joaquim Gomes de Sousa (1829-1864), considerado o primeiro vulto matemático do Brasil.

A realização destes eventos internacionais de Matemática será uma excelente oportunidade para promover o ensino, a difusão e a cultura da Matemática no país.

____________________________

João Carlos Ferreira Costa é professor do Departamento de Matemática da Unesp de São José do Rio Preto.

BAIXAR PDF

Authors

*

dezenove − treze =

Top